Tudo sobre a dor ciática: Prevenção, causas, tratamentos

Sobre a dor no ciático

A dor no ciático ou ciatalgia é causada por uma inflamação ou irritação no nervo ciático. Ele é o nervo mais longo do corpo humano e também um dos mais volumosos, por isso, é bastante comum que em algum momento da vida, a maioria das pessoas sinta algum desconforto ou dor nesta região. O nervo ciático é formado pela junção das raízes nervosas do plexo lombar, que funciona como um elo entre as regiões das costas, abdômen, virilha, coxas, joelhos e panturrilhas. Ao chegar na metade do fêmur (o maior osso do corpo, localizado na coxa), se divide em fibular e tibial. Por isso, é bastante comum o paciente com problemas no nervo ciático relatar dores que possam se estender da região lombar até o pé, passando pela região da coxa, glúteos e lateral da perna.

Quais são as causas da Dor Ciática?

Além da dor no ciático, é comum o paciente relatar limitação dos movimentos, queimação profunda nos glúteos, irradiando para as pernas e pés, formigamento, falta ou redução de sensibilidade e, em casos mais graves, perda de força na perna. 90% dos casos de dor ciática são considerados e se resolvem dentro de 40 dias, em média. A causa mais comum da dor no nervo ciático é a hérnia de disco ou outros processos degenerativos, principalmente aqueles ligados ao avanço da idade, como a estenose – quando ocorre o estreitamento do canal espinhal, por onde passa a medula espinhal – e a espondilolistese – quando uma vértebra “escorrega” sobre a outra. Nestes casos, o tempo de recuperação pode ser mais longo.

A ciatalgia também pode estar relacionada a outras doenças, como obesidade, fraturas na coluna e tumores. A dor pode ocorrer quando há a compressão do nervo ciático em casos de traumas diretos ou de repetição, como ao realizar movimentos inadequados durante a prática de exercícios físicos, má postura ao sentar, ou ainda, sentar-se sobre o celular ou a carteira no bolso da calça. Em casos de dores relacionadas a atividades físicas, isso ocorre com frequência maior entre atletas que praticam corridas, esportes com saltos e musculação.

Outra causa para a dor no nervo ciático é a Síndrome do Piriforme. O músculo piriforme fica localizado próximo ao nervo ciático, na região posterior e profunda do quadril, coberto pelos músculos glúteos. A síndrome do piriforme, ocorre quando o músculo pressiona o nervo ciático causando o quadro de dor.

Dentre as causas da síndrome do piriforme estão: o hábito de ficar muito tempo sentado, a realização exagerada ou errada de exercícios para os glúteos, a presença de aderências locais ou bandas fibrosas que restringem o movimento do nervo e alterações intra-pélvicas. Outra possível causa é a variação anatômica, na qual o nervo ciático passa pelo ventre do músculo piriforme.

Incidência de Dor no Ciático

Estima-se que 90% das pessoas, em algum momento da vida, apresenta dor ciática. No entanto, em alguns grupos, ela pode ser mais comum como:

  • Praticantes de atividades físicas (intensas ou não) e que já tiveram dor no nervo ciático anteriormente;
  • Motoristas;
  • Operadores de máquinas;
  • Trabalhadores que permaneçam a maior parte do tempo em posições não ergonômicas (como os carregadores de cargas, etc).

Diagnóstico da Dor Ciática

O diagnóstico da ciatalgia é realizado a partir de exames clínicos durante a consulta, além de exames de imagem, como a ressonância magnética e a tomografia da coluna, ainda pode ser realizado um exame clínico chamado Sinal de Lasègue. Trata-se de uma manobra com a perna, na qual o médico ortopedista procura estirar o nervo ciático. São testadas a força e o reflexo dos membros inferiores para identificar as áreas afetadas pela compressão do nervo. Estes exames permitem ao médico avaliar se há alguma alteração que esteja causando a compressão do nervo e indicando qual conduta deve ser adotada para o tratamento.

Outro exame que pode auxiliar a tomada de decisão pelo ortopedista é a eletroneuromiografia, que permite a avaliação das trocas elétricas entre os nervos, músculos e cérebro. Ela é mais solicitada em casos de suspeita da lesão do nervo ciático e serve para identificá-la com mais facilidade.

Quando procurar ajuda?

A dor é o sinal de que algo não vai bem com o nosso corpo. Quando a dor no nervo ciático aparece depois de um impacto ou movimento inadequado causado por algum esforço ou atividade física e for pontual, pode ser que se resolva com o uso de analgésicos comuns. No entanto, se ela for intensa, aparecer de repente, persistente, reduzir a capacidade de movimentação ou, ainda, alterar a sensibilidade, o ideal é evitar a automedicação e procurar ajuda de um ortopedista o quanto antes.

Quanto mais cedo o diagnóstico e o início do tratamento, mais rápida a recuperação e alta clínica do paciente. Além disso, vale ressaltar que o uso indiscriminado de anti-inflamatórios, analgésicos e relaxantes musculares pode causar ou agravar outros problemas de saúde.

Como tratar a dor no ciático?

Como dito anteriormente, a maioria dos casos se resolve dentro de 30 a 40 dias, raramente se estendendo até 90 dias para a recuperação completa da dor ciática. Para isso, é fundamental seguir corretamente as orientações médicas. Dependendo da gravidade do caso, o médico ortopedista pode recomendar os seguintes tratamentos:

  • O uso de medicamentos como anti-inflamatórios e analgésicos;
  • A recomendação da correção postural ao se levantar, sentar e a melhor posição para dormir;
  • Compressas e banhos quentes ajudam a aliviar a dor ciática;
  • Reabilitação física – técnicas como o RPG e a fisioterapia atuam no fortalecimento e no alongamento dos músculos da região evitando a compressão das raízes nervosas. As sessões de fisioterapia podem englobar recursos terapêuticos manuais, termoterapia, fototerapia e eletroterapia e têm como objetivo reduzir o processo inflamatório, aumentar a amplitude de movimento e a força muscular do paciente. Além disso, pacientes com doenças crônicas associadas à dor ciática também se beneficiam deste processo, com melhora importante na funcionalidade e qualidade de vida. Outra possibilidade de tratamento é o Pilates. O método oferece uma grande variedade de exercícios que podem ser adaptados às necessidades e limitações de cada pessoa, sendo indicada para a maioria dos pacientes.
  • Infiltrações: as injeções de corticóide no local da dor apresentam alto índice de eficiência em casos graves de dor no nervo ciático;
  • Cirurgia: o procedimento cirúrgico para o tratamento da dor ciática só é recomendada em casos onde o paciente apresenta déficit neurológico progressivo, afetando sistematicamente sua qualidade de vida.

A dor ciática, se não tratada corretamente e persistir por mais de três meses pode ser considerada crônica. Por isso, a intervenção médica e o apoio de uma equipe multidisciplinar podem ser a solução para estes casos.

Como prevenir a dor no ciático?

É possível prevenir a dor no nervo ciático a partir da adoção de bons hábitos que contribuem para a saúde da coluna, entre eles:

  • Manter uma postura adequada;
  • Mantenha o peso corporal adequado, isso evita a sobrecarga de músculos e vértebras sobre o nervo ciático;
  • Evitar subir e descer escadas de forma exagerada;
  • Ter atenção ao caminhar em terrenos irregulares para evitar possíveis entorses;
  • Cuidado ao realizar movimentos de agachamento até o chão, principalmente ao deixar os joelhos se projetarem para a frente;
  • Praticar exercícios que promovam o fortalecimento dos músculos do chamado core (abdômen, pelve e lombar), isométricos e de alongamento como o Pilates, Yoga, Musculação (com a orientação adequada) e atividades aquáticas, como a natação e a hidroginástica;
  • Evitar o tabagismo;
  • Evitar a realização de movimentos bruscos;
  • Evitar o sedentarismo;
  • No caso de pessoas que praticam atividades físicas, vale seguir com os exercícios, porém com tempo reduzido e seguindo as orientações de um profissional;
  • Evitar dormir em colchões firmes demais ou macios demais;
  • Caso trabalhe durante muito tempo sentado em frente ao computador, aposte na ergonomia da sua estação de trabalho.

Algumas pessoas, no entanto, podem apresentar quadros de dor no nervo ciático em razão da predisposição ao problema. Isso pode ocorrer em casos de pessoas com hérnias de disco ou grávidas, por exemplo.

Dor no Ciático durante a gestação

No caso das gestantes, a orientação do tratamento mais adequado depende de seu estado geral de saúde e a decisão deve ser avaliada em conjunto com o médico que realiza seu pré-natal. A ciatalgia tende a aparecer durante a gestação em razão da adaptação do corpo da mulher para o desenvolvimento do bebê. Ao final da gravidez, é maior a chance de haver a compressão do nervo ciático, resultando em dor e desconforto para a futura mamãe.

Além dos cuidados com a postura e da realização de exercícios de baixo impacto, como aqueles realizados na piscina, pode ser recomendado à grávida o uso de cintas e faixas de sustentação da barriga, além do uso da compressa quente na região glútea. Exercícios de alongamento também contribuem para evitar o quadro de dor no nervo ciático. É recomendado também, medidas como acomodar bem a barriga na cama ao dormir, usar sapatos confortáveis e evitar carregar peso. Os medicamentos anti-inflamatórios ou analgésicos só devem ser utilizados quando não apresentarem risco à saúde da mãe e do bebê, com o aval dos especialistas.

Quadro Resumo:

Descrição: A dor no ciático ou ciatalgia é causada por uma inflamação ou irritação no nervo ciático que é o nervo mais longo do nosso corpo.

Fatores de risco: idade e aspectos relacionados à qualidade de vida.

Diagnóstico: Exames clínicos, ressonância magnética, tomografia computadorizada, Sinal de Lasègue

Tipos de tratamentos: medicações orais, recomendações posturais, prática de exercícios físicos direcionados.

Como prevenir: Prática de exercícios físicos, cuidados com sobrecarga de peso e postura no trabalho, evitar manter-se na mesma posição por muito tempo.

Fale conosco!

Rolar para cima